conecte-se conosco

Saúde

Bebê de 6 meses é primeiro caso de variante Éris, da covid-19 no DF

Um bebê de 6 meses foi confirmado como o primeiro caso de infecção pela nova variante da covid-19, a Éris, no DF

Foto: Reprodução

A nova cepa do vírus da covid-19 EG.5, também conhecida como Éris, já foi detectada em dois estados brasileiros: Distrito Federal e São Paulo. Os casos foram confirmados pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Distrito Federal (Lacen), da Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF), e pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs), do Ministério da Saúde, respectivamente.

No DF, o primeiro caso de infecção pela variante Éris foi um bebê de 6 meses, que precisou ser hospitalizado no Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) em 11 de agosto com sintomas respiratórios. A criança foi tratada e recebeu alta no dia 14. O sequenciamento genômico foi feito em parceria com o Instituto Butantan, na última quinta-feira (24/8), e revelou a presença da nova cepa. Das mais de 30 amostras analisadas pelo Lacen, apenas a do bebê apresentou a variante Éris.

Em SP, o primeiro caso da nova cepa foi uma idosa de 71 anos, que já está curada. Ela teve febre, tosse, fadiga e dor de cabeça no dia 30 de julho, e fez o teste laboratorial no dia 8 de agosto. A idosa está com o esquema vacinal completo. O Cievs confirmou a infecção pela variante Éris na noite de quinta-feira (17/8).

A variante Éris é uma subvariante da Ômicron, a mais comum no mundo atualmente. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a nova cepa já foi registrada em 51 países.

A SES-DF alertou a população sobre os cuidados e reforçou que usar máscara, usar gel e lavar as mãos são as mais importantes formas de se prevenir qualquer doença de transmissão respiratória.

Saúde

Criança fica em estado grave após madrasta obrigá-la a comer lagartixa

O caso aconteceu em Formosa, no Entorno do Distrito Federal. Criança precisou ser hospitalizada. A 2ª DP da região investiga a situação

Publicado

on

Foto: Reprodução

Um menino de 11 anos está internado em estado grave em um hospital público de Formosa, no Entorno do Distrito Federal, depois de ter sido forçado pela madrasta e pela sogra dela a comer uma lagartixa morta. O fato ocorreu no último domingo (5/11), quando o garoto estava na casa do pai, que não presenciou a cena.

De acordo com a mãe da criança, que registrou um boletim de ocorrência, o filho começou a sentir fortes dores no estômago e a vomitar sem parar na segunda-feira (6/11), um dia após ter ingerido o animal. Ela disse que o menino contou que as duas mulheres afirmaram que comiam lagartixas antigamente e que nada lhes acontecia.

A mãe levou o filho a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas foi orientada a voltar para casa. Ela retornou ao local duas vezes, mas não conseguiu um atendimento adequado. Somente no sábado (11/11), ela conseguiu que o garoto fosse examinado em um hospital, onde foi diagnosticado com uma grave infecção intestinal.

O menino está recebendo tratamento médico e passando por exames para verificar a extensão dos danos causados pela ingestão da lagartixa. A 2ª Delegacia de Polícia de Formosa está investigando o caso e pode indiciar a madrasta e a sogra dela por expor a vida ou a saúde de alguém a perigo direto e iminente, crime que prevê pena de até um ano de prisão.

Continue lendo

Saúde

DF registra 1,4 mil novos casos de Covid-19 em uma semana

Taxa de transmissão da Covid-19 está em 1,23 no DF. Morte mais recente foi de um homem com mais de 60 anos em 3 de setembro

Publicado

on

Foto: Reprodução

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) divulgou nesta terça-feira (19/9) o boletim epidemiológico da Covid-19, que mostra um aumento de 1.477 casos confirmados da doença entre os dias 12 e 19 de setembro. Uma das mortes registradas nesse período foi de um idoso com comorbidades, que faleceu em 3 de setembro.

Segundo o subsecretário em Vigilância à Saúde da SES-DF, Divino Valero, parte dos casos notificados nesta terça são referentes à semana anterior, devido ao atraso na notificação de laboratórios privados por causa de um feriado prolongado. Dos 1.477 casos, 417 são da semana passada.

O aumento de casos também fez a taxa de transmissão da Covid-19 subir de 1,2 para 1,23 no DF. Isso significa que cada 100 pessoas infectadas transmitiram o vírus para outras 123 pessoas. No final de agosto, essa taxa chegou a 1,36.

Valero ressaltou a importância da vacinação de reforço e das medidas de prevenção, como o uso de máscara e a higiene das mãos. Ele disse que a maioria dos casos notificados são de pacientes com sintomas leves.

O boletim também informou que não foram detectados novos casos da subvariante EG.5.1, conhecida como Éris, em amostras coletadas em oito regiões administrativas diferentes. O DF continua com apenas um caso confirmado dessa nova subvariante.

Em relação à vacinação, cerca de 82% da população do DF já recebeu pelo menos uma dose da vacina contra a Covid-19 e 78,8% completaram o esquema vacinal com duas doses. No entanto, os índices de doses de reforço são mais baixos: cerca de metade da população (48,6%) não recebeu nenhuma dose extra. Entre os jovens até 19 anos, esse percentual sobe para 59,6%. Entre as crianças de 5 a 11 anos, chega a 83,5%.

Continue lendo

Saúde

Em uma semana, DF registra 626 novos casos de covid-19 e transmissão sobe

A taxa de transmissão chegou a 1,36, o que indica que um grupo de 100 pacientes contaminados é capaz de transmitir a doença para outros 136

Publicado

on

Foto: Reprodução

A capital federal enfrenta um novo desafio na pandemia de covid-19: a subvariante Éris, que já foi detectada em mais de 50 países e chegou ao Brasil em agosto. De acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde (SES-DF), divulgado na quarta-feira (6/9), o Distrito Federal registrou 626 novos casos de infecção pelo novo coronavírus entre 27 de agosto e 3 de setembro, e a taxa de transmissão subiu para 1,36, o que significa que cada 100 pessoas infectadas podem transmitir a doença para outras 136.

O boletim também confirmou mais duas mortes causadas pela covid-19, que ocorreram em 21 de maio. As vítimas eram duas mulheres idosas, com idades entre 70 e 100 anos, que tinham comorbidades. Desde o início da pandemia, em março de 2020, o DF já contabiliza 11.888 óbitos pela doença. Somente neste ano, até 21 de julho, foram 35 mortes.

A subvariante Éris é uma mutação da variante Ômicron, que foi identificada pela primeira vez no DF em dezembro de 2021. Segundo a SES-DF, não há evidências de que a subvariante seja mais grave ou mais contagiosa do que a Ômicron. No entanto, a secretaria alerta para a necessidade de manter as medidas de prevenção, como uso de máscara, higienização das mãos e distanciamento social.

Continue lendo

Popular