conecte-se conosco

Distrito Federal

Covid-19: Distrito Federal vacinará adolescentes de 14 e 15 anos

Imunização será iniciada nesta quarta-feira

Foto: Rayra Paiva Franco/O Panorama

O Distrito Federal vai começar a vacinar adolescentes de 14 e 15 anos nesta quarta-feira (15). O avanço para novas faixas etárias foi decidido após o recebimento de 77,2 mil doses da vacina Pfizer para a primeira dose.

Com o que ainda resta nos postos de vacinação, pouco mais de 20 mil doses, no total serão mais de 100 mil doses disponíveis a partir de quarta-feira. A estimativa do governo do Distrito Federal é que haja cerca de 90 mil adolescentes nessas faixas etárias.

Os adolescentes com 16 e 17 anos seguem podendo buscar os postos para se imunizar, bem como faixas etárias mais velhas. A relação dos pontos de vacinação será feita no site da Secretaria de Saúde do DF nesta terça-feira (14).

As informações foram dadas – em entrevista coletiva – por representantes do governo do DF hoje (13).  Já para a segunda dose, o Distrito Federal vai seguir o calendário dos retornos previstos, com adiantamento até o dia 24 deste mês. Em semanas anteriores, a Secretaria de Saúde adiantou a conclusão do ciclo vacinal pela disponibilidade de doses.

Novas doses

Segundo o subsecretário de Vigilância à Saúde do DF, Divino Valero, caso a capital da República receba novas doses, poderá ser anunciado o adiantamento até o fim desta semana.

O secretário de Saúde, general Manoel Luíz Pafiadache, destacou hoje a importância da conclusão do ciclo vacinal e da sensibilização das pessoas que receberam a primeira dose para que voltem para tomar a segunda dose dos imunizantes de duas doses (Coronavac, Pfizer e Oxford/AstraZeneca).

“A gente sempre pede para que pessoas que têm consciência, que percebem a importante da vacina, que levem e incentivem quem está em dúvida. É extremamente importante termos uma cobertura vacinal completa”, destacou.

Segundo o subsecretário Divino Valero, o início da aplicação da dose de reforço deverá ocorrer a partir do dia 15, para quando está prevista a chegada de uma remessa de doses específica para essa finalidade.

Até o momento, o Distrito Federal aplicou dois milhões da primeira dose, o que equivale a 79,4% da população adulta da capital, e 67% do conjunto dos moradores. Quanto à segunda dose, foram aplicadas 964,5 mil, correspondendo a 39,32% das pessoas com mais de 18 anos ou 33,2% do conjunto da população do DF.

Por: Agência Brasil

Para continuar atualizado sobre saúde, política, cultura pop e outros assuntos, lembre de checar nosso site e seguir o nosso perfil do Instagram (@OPanoramaOficial).

Distrito Federal

Covid-19: DF começa a vacinar adolescentes de 14 e 15 anos

Previsão é de que haja cerca de 90 mil jovens nessa faixa

Publicado

on

Foto: Rayra Paiva Franco/O Panorama

O Distrito Federal (DF) começa a vacinar, nesta quarta-feira (15), adolescentes de 14 e 15 anos. O avanço para novas faixas etárias foi feito após o recebimento de 77,2 mil doses da vacina Pfizer para a primeira dose.

Com o que ainda resta nos postos de vacinação, pouco mais de 20 mil doses, no total serão mais de 100 mil disponíveis a partir de hoje. A estimativa do governo do Distrito Federal é que haja cerca de 90 mil adolescentes nessa faixa etária.

As pessoas com 16 e 17 anos podem continuar indo aos postos para a imunização, bem como faixas de maior idade. Os pontos de vacinação estão disponíveis no site da Secretaria de Saúde do DF.

Antecipação da segunda dose

Para a segunda dose, o DF vai seguir o calendário dos retornos previstos, com adiantamento até o dia 24 de setembro. Em semanas anteriores, a Secretaria de Saúde adiantou a conclusão do ciclo vacinal pela disponibilidade de doses.

Em entrevista coletiva segunda-feira (13), o subsecretário de Vigilância à Saúde do DF, Divino Valero, afirmou que caso a capital receba mais doses poderá ser anunciado novo adiantamento até o fim desta semana.

Cobertura vacinal

Também na entrevista, o secretário de Saúde, general Pafiadache, destacou a importância da conclusão do ciclo vacinal e de sensibilização das pessoas que receberam a primeira dose para que tomem a segunda nos casos da Coronavac, Pfizer e Oxford/AstraZeneca.

“A gente sempre pede para que pessoas que têm consciência da importância da vacina levem, incentivem quem está em dúvida. É extremamente importante termos uma cobertura vacinal completa”, destacou Pafiadache.

Segundo Valero, o início da aplicação da dose de reforço pode ocorrer ainda nesta semana, quando está prevista a chegada de uma remessa de doses específica para essa finalidade.

Até o momento, o DF aplicou 2 milhões da primeira dose, o que equivale a 79,4% da população adulta da capital e a 67% do conjunto dos moradores. Quanto à segunda dose, foram aplicadas 964,5 mil, correspondendo a 39,32% das pessoas com mais de 18 anos ou a 33,2% do conjunto da população.

Por: Agência Brasil

Para continuar atualizado sobre saúde, política, cultura pop e outros assuntos, lembre de checar nosso site e seguir o nosso perfil do Instagram (@OPanoramaOficial).

Continue lendo

Distrito Federal

Escola Parque da Natureza de Brazlândia completa três anos em espaço provisório

A escola que funciona em local provisório desde 2018 sofreu redução no número de alunos atendidos devido às mudanças.

Publicado

on

Festa no cerrado 2018

A volta às aulas presenciais nas escolas do Distrito Federal marca um novo período na educação pública, com vários obstáculos a serem derrubados por conta do longo período de isolamento social e ensino a distância.

O projeto das escolas parque é uma boa forma de trabalhar de maneira ampla conceitos tão importantes para o desenvolvimento social das crianças e jovens atendidos, mas em Brazlândia o atendimento se limita a pouco mais de 200 alunos na unidade.

Semana de acolhimento aos estudantes (2015)

A Escola Parque da Natureza de Brazlândia iniciou seu projeto ainda em 2014 atendendo mais de mil alunos nos dois turnos de forma intercomplementar do 6° ao 9° ano e em atividades complementares alunos do 1° ao 5° ano. Com o objetivo de desenvolver não apenas a racionalidade das crianças e jovens, mas também múltiplas habilidades sociais e intelectuais a escola oferece oficinas voltadas para quatro pilares: arte, educação ambiental, educação patrimonial e atividade corporal.

Essas oficinas trabalham diversas realidades, momentos de encontro e de exercício da democracia participativa.

Em 2018 a escola passou a funcionar em um espaço provisório com estrutura e espaço menores e consequentemente teve sua capacidade de atendimento limitada a pouco mais de 500 alunos.

Espetáculo Circense produzido com estudantes da EPNBraz (2017)

O início da pandemia limitou ainda mais o serviço oferecido, e mesmo em meio a diversas adaptações para o ensino EaD o corpo docente seguiu acompanhando os alunos anteriormente atendidos na escola.

Mas o principal ponto não é a pandemia, ou as adaptações necessárias para a volta às aulas presenciais. O atual espaço onde a Escola Parque de Brazlândia realiza suas atividades limita significativamente a capacidade de atendimento, comprometendo o desenvolvimento do projeto.

O que deveria ser um espaço provisório completa agora quase três anos em funcionamento. Com estrutura menor e redução também do espaço a equipe de professores faz o possível para manter as atividades com bom desempenho, mas a incerteza sobre um lugar mais apropriado para a escola parque continua limitando a atuação da escola.

A comunidade de Brazlândia também espera que a Escola Parque de Brazlândia volte a atender em ambiente amplo e com melhor estrutura possibilitando assim o atendimento de um maior número de alunos.

Para continuar atualizado sobre saúde, política, cultura pop e outros assuntos, lembre-se de checar nosso site e seguir o nosso perfil do Instagram (@OPanoramaOficial).

Continue lendo

Distrito Federal

Odontologia para Todos: Deputado Rodrigo Delmasso fala sobre os desafios na saúde pública do Distrito Federal

Com mais de 18 anos de experiência em gestão pública, Delmasso acredita que a Capital Federal pode ser modelo em saúde pública para o país. O quadro “Odontologia para Todos” recebeu o deputado Rodrigo Delmasso para uma entrevista com Ricardo Paulin. Nascido em Maringá – PR, Delmasso mora em Brasília há 30 anos e atualmente […]

Publicado

on

Foto: Rayra Paiva Franco/O Panorama

Com mais de 18 anos de experiência em gestão pública, Delmasso acredita que a Capital Federal pode ser modelo em saúde pública para o país.

O quadro “Odontologia para Todos” recebeu o deputado Rodrigo Delmasso para uma entrevista com Ricardo Paulin. Nascido em Maringá – PR, Delmasso mora em Brasília há 30 anos e atualmente é vice-presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, presidente da Frente Parlamentar Interestadual em Defesa dos Direitos da Pessoa com Epilepsia e da Comissão Nacional de Acompanhamento da Vacinação –Conav. 

Foto: Rayra Paiva Franco/O PANORAMA

Formado em Gestão Pública e pós-graduado em Serviço Social o deputado que tem mais de 18 anos de experiência na área falou sobre os desafios na gestão pública do Distrito Federal.


“Brasília deveria ser um exemplo em gestão pública para o Brasil até porque aqui não faltam recursos. Nós temos o maior orçamento per capita do país, chegando a mais de 29 bilhões de reais. Na saúde, exemplificando, nós temos um orçamento de 7 bilhões de reais, então na minha visão deveríamos ser exemplo e infelizmente hoje para algumas áreas nós não somos”.

Quando o quesito é saúde Delmasso falou sobre o principal motivo, em sua opinião, para que a Capital Federal não seja modelo.

“Acredito que saúde do Distrito Federal poderia estar muito melhor do que está hoje. Dinheiro não falta, profissionais capacitados não faltam. O que na minha visão falta são gestores comprometidos em fazer que a saúde pública do Distrito Federal se torne referência para o Brasil”.

Foto: Rayra Paiva Franco/O PANORAMA

De acordo com o deputado é compreensível que quatro anos não sejam o suficiente para as mudanças que Brasília precisa fazer.

“É claro que em quatro anos você não consegue resolver tudo de uma forma ágil, de uma forma célere daquilo que a população precisa, mas sabendo que é necessário que haja uma intervenção mais firme dentro do processo acho que vamos começar a crescer na questão da saúde aqui no DF.”

Foto: Rayra Paiva Franco/O PANORAMA

Rodrigo Delmasso falou ainda sobre a pandemia no Distrito Federal e a forma como as questões de saúde pública foram conduzidas.

“O problema da pandemia foi a falta de estrutura da saúde para atender os pacientes com Covid. Então isso mais uma vez delata a estrutura da saúde no Distrito Federal”.

Delmasso falou ainda sobre sua trajetória política e seus princípios como gestor que estão atrelados a seus princípios cristãos. O deputado que também é pastor na igreja Sara Nossa Terra acredita que a igreja faz parte da sociedade e precisa ter uma participação ativa no processo político.

Foto: Rayra Paiva Franco/O PANORAMA

Entre outros assuntos o deputado falou sobre sua visão quanto às prioridades para que os avanços em saúde na Capital Federal de fato aconteçam. Para acompanhar a entrevista completa com o deputado Rodrigo Delmasso acesse o canal no Youtube do O Panorama, clicando aqui.

Para continuar atualizado sobre saúde, política, cultura pop e outros assuntos, lembre-se de checar nosso site e seguir o nosso perfil do Instagram (@OPanoramaOficial).

Continue lendo

Popular