conecte-se conosco

Distrito Federal

Distrito Federal apresenta plano de combate à dengue em evento nacional

Encontro promovido pelo Consórcio Brasil Central reuniu coordenadores de políticas públicas de saúde dos estados de Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Tocantin

Divulgação

Representantes do Distrito Federal e de outros entes da federação discutiram, nesta quinta-feira (30), novas metodologias e ferramentas para o combate e enfrentamento a arboviroses causadas pelo mosquito Aedes aegypti – dengue, zika, febre amarela e chikungunya. A discussão ocorreu em evento promovido pelo Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central (BrC), transmitido ao vivo pelo canal do YouTube da entidade.

O subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero, apresentou o monitoramento realizado pelo DF no controle do vetor das doenças. Segundo ele, o combate aos novos criadouros e a mitigação da população de mosquitos exige mitigação da população de mosquito, considerando o conjunto variável de elementos biológicos, etiológicos e comportamentais.

“Tivemos um aumento considerável do lixo doméstico e isso coincidiu com um período chuvoso muito intenso, o que aumentou a população de mosquitos e potencializou a capacidade de transmissão das doenças”, explanou Valero.

União de setores

A secretária-executiva de acompanhamento e monitoramento de políticas públicas do DF, Meire Mota Coelho, salientou que o enfrentamento às arboviroses é prioridade da gestão atual. “Nossa sala de coordenação e controle atua de forma integrada, com colaboração entre todas as agências de governo, para o combate à dengue”, pontua.

A atuação conjunta é defendida também pelo coordenador geral de vigilância de arboviroses do Ministério da Saúde, Cássio Peterka. Segundo ele, o enfrentamento às arboviroses deve trabalhar a interseccionalidade governamental, envolvendo outras áreas além da saúde, como limpeza urbana e segurança pública.

“O combate às arboviroses precisa ser trabalhado com toda a sociedade. Não só com os profissionais de saúde, mas com todos os cidadãos”, diz ele. “O principal papel do Ministério da Saúde, em relação às arboviroses, é fazer a orientação técnica, junto aos estados e municípios, para que sejam geradas políticas públicas aplicáveis em todo o Brasil”, completa.

“Estamos estudando, por exemplo, o uso de armadilhas para o mosquito, sobre qual a eficácia do aparelho, qual o tamanho da área que poderá ser coberta e quais os possíveis resultados. É um trabalho que está começando a ser discutido para criarmos estratégias coletivas”, elencou.

Valero destacou ainda que não se trata de um processo formal. “Não temos uma receita de bolo. É o controle de um ser vivo, com alta adaptabilidade. Todos os dias discutimos novas metodologias, variações do vetor, além da alteração do padrão do comportamento humano em função da covid.”

Âmbito nacional

Primeira autarquia formada por estados no Brasil, o BrC existe desde 2015 com objetivo de estimular o desenvolvimento e progresso regional dos entes federativos participantes. O consórcio atualmente é presidido pelo governador Ibaneis Rocha e, além do DF, reúne os estados de Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Tocantins.

O secretário-executivo do BrC, José Eduardo Pereira Filho, destaca o papel exercido pelo grupo como ampliador de debates. “Temos como propósito fazer uma conjunção de políticas públicas e atitudes de governo no sentido de fazer com que as populações sejam melhor atendidas. Com o aumento exponencial dos casos de dengue, zika e chikungunya em 2022, achamos por bem discutir boas práticas exercidas nos estados, para ampliar para toda a federação. Portanto, é um momento de diálogo”, comenta.

Para a superintendente de Vigilância em Saúde de Goiás, Flúvia Amorim, as ações precisam ser definidas e viabilizadas antes do próximo período chuvoso na região centro-oeste. “Em Goiás, tivemos um aumento de 200% em relação aos casos de dengue e mais de 400% em relação à chikungunya. Em plena pandemia, há um pico de casos de covid-19 e dengue ao mesmo tempo. Então, precisamos chegar em outubro com o menor número de criadouros possível, controlando o vetor do arbovírus, para termos uma situação melhor em toda a região no próximo verão”, pontua.

Por Agência Brasil

Clique para comentar

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Política

Republicanos anuncia Damares Alves como candidata ao Senado no DF

A candidatura da ex-ministra é considerada ‘avulsa’, já que o partido oficializou apoio a Flávia Arruda (PL)

Publicado

on

Fabio Rodrigues-Pozzebom/Agência Brasil

A ex-ministra Damares Alves foi anunciada como candidata ao Senado Federal, pelo Republicanos, nesta sexta (5). O partido oficializou a candidatura durante uma convenção do seu diretório regional, em Brasília.

A candidatura de Damares será ‘avulsa’, já que a sigla declarou apoio, oficialmente, à candidata Flávia Arruda (PL), bem como à reeleição do governador Ibaneis Rocha (MDB). A apresentação de duas candidaturas à Casa pela mesma coligação teve aval do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em junho deste ano.

O União Brasil irá apoiar a ex-ministra, de acordo com o presidente da sigla, Manoel Arruda, que também oficializou apoio à chapa de Ibaneis que concorre ao Palácio do Buriti.

Damares foi ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos no atual governo. Ela exerceu a função entre janeiro de 2019 e março deste ano, quando anunciou sua saída do ministério para disputar as eleições.

Continue lendo

Distrito Federal

Nunes Marques será o relator responsável pela candidatura de Arruda no STF

Arruda foi impedido de concorrer ao cargo de governador do DF, na última segunda-feira (1)

Publicado

on

Reprodução

O STF escolheu o ministro Kássio Nunes Marques para ser o relator responsável pela ação protocolada pela defesa do ex-governador José Roberto Arruda (PL), nesta quinta (4). O pedido feito pelos advogados de Arruda consiste em liberar a possibilidade para que o político possa se candidatar nas eleições deste ano.

A ação tem como objetivo a revisão da sentença proferida pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), que suspendeu os direitos políticos de Arruda, alegando improbidade administrativa.

No mês passado (julho), o magistrado revogou a condenação do ex-deputado federal Roney Nemer referente às denúncias da operação Caixa de Pandora e tornar sem efeito um parecer anterior do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O ex-governador é acusado de reconhecer dívidas através da realização de pagamentos, em favor da da empresa Linknet, por serviços prestados ao governo do Distrito Federal (GDF), sem cobertura contratual. O crime teria ocorrido entre 2007 e 2009, e também foi investigado durante a operação Caixa de Pandora.

Continue lendo

Distrito Federal

Homem é esfaqueado após discussão por sacola com dinheiro e drogas

A vítima foi encaminhada ao Hospital Regional de Sobradinho

Publicado

on

Istock

Um homem foi preso pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) por ferir outro com golpes de faca, durante uma discussão, na manhã desta quinta (4). O suspeito estava sob o efeito de drogas.

O delegado responsável pelo caso, Laércio de Carvalho, disse que o ocorrido se deu após uma discussão. A vítima teve ferimentos nos membros inferiores e foi encaminhada para o Hospital Regional de Sobradinho.

Os dois começaram a discutir após o suspeito exigir uma sacola que tinha dinheiro e drogas, entretanto. A vítima informou que não sabia o paradeiro do objeto e por isso foi esfaqueada. 

O esfaqueador já é um nome conhecido pela polícia, possui passagem e envolvimento com o tráfico de drogas local. Ele foi autuado por lesão corporal. O agressor foi direcionado a carceragem da PCDF e durante a ação desacatou policiais e servidores do hospital.

Continue lendo

Popular