conecte-se conosco

Educação

Ensino médio volta às aulas presenciais nesta segunda-feira (26)

A opção fica a cargo das famílias, que podem optar por continuar com os filhos nas aulas online

Ensino médio: aulas presenciais voltam nesta segunda-feira nas escolas particulares
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Alunos do Ensino Médio e Profissionalizante retornam às aulas presenciais nesta segunda-feira (26). O retorno às escolas ocorre gradualmente para as escolas privadas do Distrito Federal. Entretanto, apenas 9 mil dos 28 mil estudantes matriculados, devem retornar às aulas presenciais. A opção fica a cargo das famílias.

O ensino à distância continua para os alunos que não optarem por retornar às aulas presenciais nas escolas privadas. Dessa forma, as instituições devem aplicar os dois métodos de ensino de forma simultânea. A opção de volta às aulas ao ensino presencial é dos pais dos alunos, que devem escolher uma das modalidades. Desde a volta às aulas nas escolas privadas, que aconteceu no dia 21 de setembro, os alunos e funcionários seguem protocolos de higiene e segurança.  

O retorno às aulas presenciais no ensino médio ocorre sete meses após as escolas suspenderem as aulas por conta da pandemia do novo coronavírus. Dessa forma, as escolas aplicaram o ensino à distância como alternativa à continuidade do ano letivo. Nas escolas públicas o ensino remoto demorou mais para acontecer e deve ser seguido até o fim do ano na maior parte do país. No DF um juiz determinou a volta das aulas presenciais no ensino público em até 20 dias, mas ainda cabe recurso da decisão.

Aulas presenciais

Para a empresária Rita de Kássia Marques os dois filhos, um do ensino infantil e outro do ensino médio, vão continuar com as aulas online. Ela conta que ainda não sente confiança o suficiente para levá-los de volta para a escola.

“Por mais que seja puxado, meus filhos estão conseguindo lidar com o ensino remoto. Eles já se acostumaram depois de vários meses com aulas online. Eu não vou mandá-los de volta para a escola faltando nem dois meses para o ano letivo acabar. Qualquer mudança que eu for seguir, vai ser apenas em 2021”, explica a empresária.

De acordo com a Secretaria de Educação do DF há, atualmente, 571 escolas privadas na região. Os dados abrangem desde as creches até o ensino médio e profissionalizante.

Distrito Federal

Ibaneis Rocha troca comando da Secretaria de Educação

Hélvia Paranaguá é a quarta secretária que chega ao cargo desde o início do atual governo, em 2019.

Publicado

on

Foto: Renato Alves/ Agência Brasília

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, decidiu mais uma vez trocar o comando da Secretaria de Educação. Leonardo da Cruz deixou o cargo na manhã desta quarta-feira (14) e sua exoneração  deve ser publicada em breve no Diário Oficial da União. A professora Hélvia Paranaguá é a nova indicada para comandar a pasta.

Leandro Cruz, que também foi secretário de Esporte e Lazer, deixa o cargo após pouco mais de um ano. Com a troca, a gestão de Ibaneis chega ao quarto secretário de Educação desde o início do mandato. Anteriormente, a pasta havia sido comandada por João Pedro Ferraz, em seguida, Carolina Petrarca que assumiu o cargo momentaneamente até a chegada de Leandro Cruz e agora, Hélvia. 

Natural da cidade de Corrente (PI), Hélvia é servidora pública concursada há mais de 20 anos e tem experiência em gestão. A nova secretaria terá a missão de coordenar o retorno às aulas presenciais na rede pública. 

Suspensas desde março do ano passado, em razão da pandemia da Covid-19,  a expectativa é de que as aulas retornem no próximo dia 2 de agosto. O GDF está trabalhando na vacinação dos professores para que as atividades presenciais possam ter um retorno seguro. 


Para continuar atualizado sobre saúde, política, cultura pop e outros assuntos, lembre-se de checar nosso site e seguir o nosso perfil do Instagram (@OPanoramaOficial).

Continue lendo

Distrito Federal

Inglês na Estrutural está a procura de novos voluntários

O projeto oferece aulas de inglês na comunidade de forma totalmente gratuita.

Publicado

on

Foto: Divulgação

O Inglês na Estrutural (InE), projeto que oferece aulas gratuitas para crianças e adolescentes na Cidade Estrutural (DF) desde 2014, está com inscrições abertas para novos voluntários. Devido à pandemia de Covid-19, as aulas estão sendo ministradas de forma on-line, desde o primeiro semestre de 2020, desta forma, pessoas de qualquer lugar do Brasil e do mundo podem participar. 

Os interessados em participar do segundo semestre do InE devem se inscrever até o dia 19 de julho. O projeto busca novos voluntários para quatro equipes, sendo elas: volunteachers (professores de inglês), Quiet Time (que promove atividades de meditação e atenção plena junto aos alunos), comunicação (responsáveis pelas redes sociais e pela comunicação interna e externa do projeto) e editores de vídeo (responsáveis pela edição e finalização de vídeos para redes sociais e reforço de conteúdos). 

Foto: Divulgação

O encontro entre alunos e professores acontece aos sábados, no período da manhã, por meio da plataforma Google Meets. No decorrer de cada semana, os voluntários devem produzir vídeos de aulas, editados pela equipe especializada, para o reforço de alguns conteúdos abordados. Os alunos também são acompanhados durante a semana por meio de grupos no WhatsApp. Voluntários do Quiet Time, da equipe de comunicação e editores de vídeo não precisam ter conhecimento ou fluência em inglês. 

O projeto  Inglês na Estrutural 

Foto: Divulgação

Idealizado por  Luciana Von Tol, o projeto teve início em 2014, quando a jovem começou a dar aulas gratuitas de inglês aos sábados de manhã no Coletivo da Cidade, ONG da Estrutural que oferece apoio para famílias de moradores da cidade. 

A demanda de alunos foi aumentando e, em 2015, o projeto adotou o modelo da ONG Cidadão Pró-Mundo para organização de revezamento de voluntários para as aulas, modelo adotado até hoje.

Antes da pandemia, o Inglês na Estrutural oferecia aulas para uma média de 200 alunos. Com a necessidade de interromper as aulas presenciais e ministrá-las de forma virtual, esse número caiu consideravelmente, hoje o projeto atende cerca de 120 alunos.

Para continuar atualizado sobre saúde, política, cultura pop e outros assuntos, lembre de checar nosso site e seguir o nosso perfil do Instagram (@OPanoramaOficial).

Continue lendo

Brasil

Edstation School é nova opção de especialização para quem deseja trabalhar com tecnologia

As matrículas para o curso já estão abertas e podem ser feitas no site da instituição.

Publicado

on

Foto: Divulgação/ Nathalia Kelday

Idealizado por Nathalia Kelday, a Edstation School é um programa 100% online de 18 semanas para jovens entre 13 e 14 anos de idade idealizarem, validarem e lançarem uma empresa de base tecnológica no mercado. A ideia do curso veio da necessidade de preparar os jovens para um futuro desconhecido, o das tecnologias emergentes, como inteligência artificial, blockchain, internet das coisas, nanotecnologia e realidades expandidas.

“Depois de ter tido a oportunidade de trabalhar com alunos da faixa etária entre 13 e 14 anos, desenvolvendo neles a capacidade de utilizar umas das ferramentas gráficas mais sofisticadas da atualidade para a criação de aplicativos, segui elaborando a proposta para transformá-la em um processo de aprendizagem baseado em projetos”, conta Nathalia Kelday sobre como surgiu a ideia do projeto. 

A Edstation School cumpre tanto o papel de preparar os jovens para lidarem com as mudanças constantes do mundo, assim como de prepará-los para as profissões do futuro que ainda surgirão. Entre os objetivos, está fazer com que os participantes se percebam como cidadãos globais, capazes de gerarem impactos positivos no mundo.  O investimento no curso é de R$ 3.200,00 por participante e as matrículas já estão abertas

O curso é composto por módulos, e cada um será conduzido por um profissional renomado do mercado, especialista na área. Os participantes serão acompanhados por um Head de Inovação ao longo de todo o programa, que será o responsável por fazer a conexão de um módulo ao outro. O final da jornada inclui fazer um pitch da startup (apresentação de 4 minutos) para uma audiência convidada dos participantes, com uma banca avaliadora.

Para continuar atualizado sobre saúde, política, cultura pop e outros assuntos, lembre de checar nosso site e seguir o nosso perfil do Instagram (@OPanoramaOficial). 

Continue lendo

Popular