conecte-se conosco

Saúde

Foque no agora e aproveite oportunidades para o sucesso

Você se sente merecedor de tudo o que deseja?

Foto: Freepik/jcomp

Para você que sonha em ter uma transformação na sua vida, mas sente que alguma coisa o trava, o congela, sente que anda em círculos, que repete os mesmos erros e não sai do lugar: este texto é para você!

Para se obter sucesso, é preciso ter mudanças em nosso olhar e ações perante a vida. Duas coisas importantes são: ACORDE e AJA! Primeiramente é necessário que você faça uma autoanálise. Pare e reflita sobre como são suas atitudes diante da sua vida: no trabalho, nos estudos, nas relações familiares e nas relações amorosas. Será que em todas essas facetas da vida você está se dedicando?! Você oferece um tempo de qualidade para elas ou apenas passa por essas facetas de forma mecânica e passiva?!

Uma outra reflexão importante é saber se você se sente merecedor de tudo o que deseja. Como?Respondendo esse questionamento com sinceridade. Seus pensamentos são mais positivos e otimistas ou mais negativos e pessimistas?! Você sabia que o pensamento é o combustível para nossas ações?! Observe esse pequeno esquema:

–> PENSAMENTO

–> EMOÇÃO

–> COMPORTAMENTO

–>RESPOSTA FISIOLÓGICA

Diante disso, perceba que, para cada pensamento, existe uma emoção associada. Isso porque, para cada pensamento, produzimos certos tipos de neurotransmissores. Por exemplo, se você pensa de maneira negativa o seu corpo libera mais adrenalina, epinefrina e cortisol que, por sua vez, gera uma emoção negativa, como o medo. Consequentemente, você terá um comportamento também negativo, como, por exemplo, deixar de apresentar um trabalho na faculdade, “matar” uma reunião importante, não realizar uma apresentação em público, deixar passar oportunidades. Tudo isso acontece também devido à resposta fisiológica que o caminho do pensamento percorre: o coração acelera, vasoconstrição (mãos frias e com sudorese), tensão muscular, e isso pode levar à paralisação de suas ações. Logo, o medo é paralisante, não apenas por questões emocionais, mas também fisiológicas.

Diante disso, perceba que, para cada pensamento, existe uma emoção associada. Isso porque, para cada pensamento, produzimos certos tipos de neurotransmissores. Por exemplo, se você pensa de maneira negativa o seu corpo libera mais adrenalina, epinefrina e cortisol que, por sua vez, gera uma emoção negativa, como o medo. Consequentemente, você terá um comportamento também negativo, como, por exemplo, deixar de apresentar um trabalho na faculdade, “matar” uma reunião importante, não realizar uma apresentação em público, deixar passar oportunidades. Tudo isso acontece também devido à resposta fisiológica que o caminho do pensamento percorre: o coração acelera, vasoconstrição (mãos frias e com sudorese), tensão muscular, e isso pode levar à paralisação de suas ações. Logo, o medo é paralisante, não apenas por questões emocionais, mas também fisiológicas.

Um outro exercício: todos os dias pela manhã, ao acordar, coloque uma música animada que o motive.Vá para frente do espelho e fale em voz alta: “eu posso, eu consigo, eu sou poderoso(a)” e pule ao mesmo tempo. Isso ativa todo o seu corpo, bem como os seus neurotransmissores e hormônios, liberando citocina, cerotonina e endorfina, o que levará à produção de emoções positivas e de autoconfiança. E assim você terá pensamentos positivos e assertivos.

AJA! “A neurociência mostra que nosso cérebro acaba por aceitar e até mesmo procurar o padrão que mais se repete. Nossa mente, buscando por segurança e subsistência, compara nossa vida a telejornais, telenovelas, noticiários, filmes e tudo o mais que nos cerca. Nossa mente passa a acreditar na média dos acontecimentos, que de antemão foram tão corriqueiramente apresentados, e que são de fato normais, aceitáveis e até desejáveis. Então, depois de tantos e tão impactantes estímulos, temos um cérebro programado para repetir uma vida ‘normal’ e ‘medíocre’, sem questionamentos e sem maiores expectativas. “Uma vida abaixo de nossas reais possibilidades potenciais.” (Livro “O poder da ação”. Autoria: Paulo Vieira).

O que você deseja, uma vida normal ou uma vida com abundância?! Você é quem decide e realiza. Basta agir, saindo de sua zona de conforto, que é o lugar onde damos nossas desculpas para não fazermos o que sabemos que devemos fazer.

Por: Sarah Sammy M. Sampaio

IMPIInstituto de Medicina e Psicologia Integradas

RT: Dalmo Garcia Leão CRM 4453

Para continuar atualizado sobre saúde, política, cultura pop e outros assuntos, lembre de checar nosso site e seguir o nosso perfil do Instagram (@OPanoramaOficial).

Brasil

Marcelo Queiroga destaca eventos adversos em adolescentes vacinados

Queiroga explica revisão de recomendação sobre vacinas de covid-19

Publicado

on

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que uma série de motivos pesaram para que a pasta resolvesse revisar a recomendação e suspender a vacinação de adolescentes sem comorbidades.

Segundo Queiroga, foram identificados 1,5 mil eventos adversos em adolescentes imunizados. Todos eles foram de grau leve. Foi notificado um caso de morte de um jovem em São Paulo, mas o episódio ainda está sendo investigado para avaliar se a causa foi o imunizante ou não.

O ministro reclamou que, a despeito da orientação anterior para que a imunização deste público tivesse início ontem (15), já foram vacinados 3,5 milhões de adolescentes por autoridades locais de saúde.

Ele acrescentou que houve diversos casos de prefeituras que aplicaram vacinas não autorizadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A agência só permitiu o uso da Pfizer/BioNTech para adolescentes de 12 a 17 anos. Nos registros do Ministério da Saúde, entretanto, dados enviados pelos estados mostram este público sendo imunizado com outras vacinas.

“Em relação aos subgrupos, as evidências estão sendo construídas. O NHS [SUS do Reino Unido] restringiu a vacinação nos adolescentes sem comorbidades. Aqueles que já tinham sido imunizados com 1ª dose se recomendou parar por ali”, disse Queiroga.

A secretária extraordinária de enfrentamento à covid-19, Rosana Leite, mencionou também orientação da Organização Mundial de Saúde sobre o assunto.

“A OMS não recomenda, mas sugere que pode se pensar [na vacinação de adolescentes] a partir do momento que tenha vacinado toda a população, principalmente as mais vulneráveis, com duas doses”, disse.

Perguntados se a suspensão da vacinação teria relação com a falta de vacinas, os representantes do ministério descartaram essa hipótese e afirmaram que não há problema de abastecimento de doses no país. “Não falta vacina. Será que elas foram utilizadas de forma inadvertida? Provavelmente”, sugeriu a secretária Rosana Leite.  

Diante da suspensão, os adolescentes sem comorbidades que receberam a primeira dose não devem ter a aplicação da segunda dose. A orientação de interromper a imunização vale também para aqueles com comorbidades que tomaram a primeira dose da AstraZeneca ou Coronavac.

Apenas os adolescentes com comorbidades imunizados com a Pfizer/BioNTech na primeira dose podem seguir com o processo de imunização e completar o ciclo vacinal, procurando os postos para receber a segunda dose.

Veja ao vivo:


Veja também:

Covid-19: ministério recomenda suspensão da vacinação de adolescentes

O Ministério da Saúde revisou a recomendação de vacinação de adolescentes contra a covid-19. O ministério passou a recomendar a vacinação apenas para os adolescentes entre 12 e 17 anos que tenham deficiência permanente, comorbidades ou que estejam privados de liberdade.

Por: Agência Brasil

Para continuar atualizado sobre saúde, política, cultura pop e outros assuntos, lembre de checar nosso site e seguir o nosso perfil do Instagram (@OPanoramaOficial).

Continue lendo

Brasil

São Paulo vai manter vacinação de adolescente de 12 a 17 anos

Foram imunizadas cerca de 2,4 milhões de pessoas desse grupo

Publicado

on

Foto: Rayra Paiva Franco/O Panorama

O governo de São Paulo informou hoje (16) que seguirá vacinando adolescentes de 12 a 17 anos de idade por recomendação do Comitê Científico do Estado.

Em nota técnica publicada ontem (15), o Ministério da Saúde recomenda a vacinação apenas para pessoas desse grupo que tenham deficiência permanente, comorbidades ou que estejam privados de liberdade.

“A medida cria insegurança e causa apreensão em milhões de adolescentes e famílias que esperam ver os seus filhos imunizados, além de professores que convivem com eles”, diz a nota do governo paulista.

Ainda segundo o governo estadual, “três a cada dez adolescentes que morreram com covid-19 não tinham comorbidades em São Paulo”. Aponta também que esse público responde por 6,5% dos casos no estado e, assim como os adultos, “está em fase de retomada do cotidiano, com retorno às aulas e atividades socioculturais”.

A vacinação de adolescentes em São Paulo começou em 18 de agosto. Já foram imunizadas cerca de 2,4 milhões de pessoas desse grupo, ou seja, 72%.

Capital paulista

A prefeitura de São Paulo também informou, por meio de nota, que não vai interromper a imunização com doses da vacina da Pfizer para adolescentes de 12 a 17 anos sem comorbidade na capital.

A Secretaria Municipal de Saúde informou que tomou ciência da recomendação do ministério, mas que, “em virtude do estágio avançado no Programa Municipal de Imunizações (PMI), seguirá com as diretrizes” já publicadas no instrutivo número 35.

Segundo o governo municipal, até ontem (15) foram aplicadas mais de 712 mil doses em adolescentes de 12 a 17 anos, o que representa 84,4% da cobertura vacinal deste público, restando, portanto, cerca de 15%.

“As doses destinadas à imunização desse grupo estão reservadas pelo município e seu uso não compromete a vacinação dos demais públicos elegíveis. Em relação à aplicação da segunda dose nos adolescentes, a pasta adianta que vai seguir normalmente”, disse a prefeitura em nota.

Por: Agência Brasil

Para continuar atualizado sobre saúde, política, cultura pop e outros assuntos, lembre de checar nosso site e seguir o nosso perfil do Instagram (@OPanoramaOficial).

Continue lendo

Brasil

Rio de Janeiro decide manter vacinação de adolescentes de 14 anos

Vacinação dos adolescentes de 12 e 13 anos de idade será discutida

Publicado

on

Foto: Rayra Paiva Franco/O Panorama

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro decidiu manter a vacinação de adolescentes de 14 anos de idade, marcada para ocorrer hoje (16) e amanhã (17). Já a vacinação de 13 e 12 anos de idade será discutida na próxima quarta-feira (22), no Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19 do município.

O anúncio ocorre depois que o Ministério da Saúde revisou a recomendação de vacinação de adolescentes contra a covid-19. Em nota técnica publicada ontem (15) pela Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, o ministério passou a recomendar a vacinação apenas para os adolescentes entre 12 e 17 anos que tenham deficiência permanente, comorbidades ou que estejam privados de liberdade.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, o Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19 avaliará as ponderações que levaram o Ministério da Saúde a restringir a recomendação para a vacinação de adolescentes, e o assunto também está em discussão pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

A vacinação de adolescentes já teve início em diversas cidades do país e é realizada somente com a vacina Pfizer/Biontech, a única com autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para uso em adolescentes a partir de 12 anos.

Na cidade do Rio de Janeiro, o número de adolescentes que já receberam a primeira dose passa de 236 mil, segundo consulta realizada na tarde de hoje no painel de dados mantido pela Secretaria Municipal de Saúde. Já o número de adolescentes que constam como não vacinados é de 265 mil.

Por: Agência Brasil

Para continuar atualizado sobre saúde, política, cultura pop e outros assuntos, lembre de checar nosso site e seguir o nosso perfil do Instagram (@OPanoramaOficial).

Continue lendo

Popular