conecte-se conosco

Distrito Federal

PCDF deflagra Operação Xangai

Todos os presos foram indiciados por associação criminosa e sete delitos de furto qualificado.

Foto: ASCOM/PCDF

 Na manhã de hoje (17), a Divisão de Repressão a Roubos e Furtos – DRF da Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais – CORPATRI deflagrou a Operação Xangai. A ação resultou na prisão de cinco pessoas que furtavam casas de chineses em todo o Brasil. Além das prisões, foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão.

                        Dois mandados de prisão preventiva foram cumpridos em Campo Grande/MS, outros dois em Brasília/DF e um mandado de prisão temporária em São Paulo/SP, onde também foram cumpridos os mandados de busca e apreensão.   

                        O cumprimento das medidas em São Paulo contou com o apoio do Departamento de Operações Policiais Estratégicas (DOPE) da Polícia Civil do Estado de São Paulo — PCSP. 

                        Sediada em São Paulo, a associação criminosa especializou-se no ataque a apartamentos de chineses em todo o Brasil. O grupo atuava desde 2015 e já havia praticado furtos nos estados de São Paulo, Ceará, Pernambuco, Santa Catarina e Minas Gerais. Todos os presos possuem vínculos com criminosos já investigados pela DRF/Corpatri.   

                        As investigações apontaram que os criminosos invadiram sete apartamentos no Distrito Federal, sendo quatro em Águas Claras, dois no Guará e um em Taguatinga. Ao todo, foram subtraídos mais de R$ 800 mil das vítimas.

                        Nos furtos do Distrito Federal, os criminosos se valeram de veículos alugados na cidade de São Paulo. Eles se passavam por parentes dos chineses e entregadores para enganar os porteiros dos prédios. Em seguida, arrombavam as portas dos apartamentos.

                        Essa é a terceira operação da DRF que alcança criminosos voltados, com permanência e estabilidade, ao furto e roubo de casas de chineses. A Operação Xangai é um desdobramento das operações Chengdu e Pequim, ambas deflagradas pela PCDF. 

                        Na Operação Chengdu, que ocorreu em maio de 2020, foram presos 12 criminosos. As prisões ocorreram nos estados de São Paulo, Ceará e Santa Catarina. Entre os anos de 2016 e 2020. Os alvos da Chengdu furtaram 18 apartamentos de chineses no Distrito Federal. Todos têm conexão com os criminosos presos na manhã de hoje.

                        Já a Pequim, deflagrada em novembro de 2020, culminou na prisão de três criminosos na cidade de São Paulo/SP. Eles foram responsáveis por sete furtos de apartamentos de chineses no Distrito Federal. O trio também tem vínculos com os criminosos presos na manhã de hoje.   

Por: Assessoria de Comunicação/DGPC

Clique para comentar

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Distrito Federal

PF prende suspeito de divulgar pornografia infantil na internet

Operação Tracciato cumpriu mandado em Porto Velho, Rondônia

Publicado

on

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (7) uma operação para combater a divulgação de imagens e vídeos de exploração sexual de crianças e adolescentes na internet. Batizada de Tracciato, que significa rastreado em italiano, a operação cumpriu mandado de busca e apreensão, expedido pela 7ª Vara Federal de Porto Velho, em residência localizada no bairro Eletronorte, na zona sul da capital de Rondônia.

As investigações começaram a partir de um relatório, produzido pelo núcleo da PF voltado para a repressão aos crimes de ódio e à pornografia infantil na Internet, e foram realizadas em cooperação polícia italiana.

De acordo com a PF, durante o cumprimento das buscas, o investigado foi autuado em flagrante pelo delito de armazenamento de imagens e vídeos de exploração sexual infantil.

“O detido foi levado para a sede da PF em Porto Velho, para procedimentos policiais e, ao final, encaminhado ao sistema prisional estadual, onde permanecerá à disposição da Justiça”, disse a polícia.

A PF informou ainda que o material era compartilhado pelo investigado por meio de aplicativos específicos e que também apreendeu, no interior da residência, equipamentos eletrônicos que estariam sendo utilizados na prática das condutas criminosas.

Por: Agência Brasil

Continue lendo

Distrito Federal

3ª DP prende condenado da Justiça do Estado de Minas Gerais pelo crime de homicídio

Ele foi localizado no trabalho e conduzido até a delegacia.

Publicado

on

Foto: Rayra Paiva Franco/O PANORAMA

Na tarde de terça-feira (6), policiais lotados na 3ª Delegacia de Polícia realizaram a prisão de um homem, de 37 anos, condenado pela prática do crime de homicídio de um sargento da Polícia Militar de MG. A prisão ocorreu no Setor Comercial Sul – Brasília.

Após sair de uma festa na cidade de Patos de Minas/MG, local onde teria ingerido bebidas alcoólicas, o condenado dirigiu o veículo em alta velocidade e colidiu com a motocicleta conduzida pela vítima. O homem chegou a ser preso em flagrante na época dos fatos, em 2006, e foi denunciado pelos crimes de homicídio qualificado por motivo torpe e por impossibilitar a defesa da vítima, além dos crimes de embriaguez ao volante, omissão de socorro e fuga do local de acidente.

O autor do fato respondeu ao processo em liberdade e, no julgamento, foi condenado pelos crimes de homicídio simples e embriaguez ao volante. Este último crime, entretanto, prescreveu, de modo que foi condenado a uma pena de seis anos de prisão pelo crime de homicídio e estava foragido desde 2018. Após levantamentos feitos pela equipe da delegacia, foi possível descobrir o endereço do condenado, bem como o local onde estaria trabalhando. Após os procedimentos legais, o autor foi recolhido ao cárcere da polícia civil.

Por: Assessoria de Comunicação/DGPC

Continue lendo

Distrito Federal

16ª DP prende homem por abuso de menores

O Conselho Tutelar de Planaltina e a liderança religiosa da igreja ajudaram na investigação, inclusive indicando nova vítima.

Publicado

on

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A Polícia Civil do Distrito Federal, por meio da 16ª DP (Planaltina), indiciou obreiro de igreja evangélica que abusou de sete vítimas menores de idade, fatos ocorridos durante os cultos, quando o criminoso se voluntariava para cuidar das crianças.

No final de 2017 foi registrada uma ocorrência policial narrando que o suspeito (hoje com 50 anos) havia cometido abusos contra duas crianças, fatos ocorridos entre 2003 e 2005. Durante as diligências investigativas, os policiais descobriram outras cinco vítimas do mesmo criminoso, que habitualmente era voluntário para cuidar das crianças durante os cultos de sua igreja, ficando mais afastado, no parquinho do local.

Outros abusos foram praticados na casa do criminoso, quando ele também se propunha a cuidar das crianças enquanto as mães e a própria esposa ensaiavam cantos religiosos. A investigação comprovou que as vítimas possuíam entre 6 e 10 anos, incluindo até sobrinhas do criminoso.

Visando não ocorrer a prescrição dos crimes, a investigação foi concluída e a denúncia do Ministério Público já recebida pelo juízo competente, ou seja, o criminoso agora é réu e vai responder aos crimes que praticou.

Mesmo passados muitos anos, foi possível colher elementos de prova robustos que comprovam os indícios de autoria e materialidade dos crimes. Assim, a PCDF reforça a importância das denúncias, não importando quando o fato aconteceu.


Por: Assessoria de Comunicação/DGPC

Continue lendo

Popular