conecte-se conosco

Entretenimento

Silva lança novo álbum ‘Cinco’ e dá detalhes exclusivos da produção; veja

Em produção analógica, Silva entrega para os fãs 14 faixas no novo álbum com participação de Anitta e Criolo

Cantor Silva dá detalhes sobre o novo álbum 'Cinco'
Foto: Reprodução/Instagram

Com 14 faixas e participação de Anitta, Criolo e João Donato, o novo álbum do cantor Silva, ‘Cinco’, chegou às plataformas digitais na última quinta-feira (10) e marca a carreira do artista pela mistura de ritmos e horas dedicadas ao trabalho.

Até desaguar em ‘Cinco‘, décimo álbum da carreira, o quinto de inéditas, onde viaja da MPB ao Soul Music e Ska, com escalas na Bossa Nova, Jazz e samba, Silva trilhou pela vertente indie pop, carregada de violino e piano. Além de tocar e cantar com Fernanda Takai e Lulu Santos, gravou com Marisa Monte, e duetou com Ludmila e Ivete Sangalo.

Cantor, compositor, produtor musical e multi-instrumentista, neste lançamento de 2020, Silva foi além e decidiu produzir e mixar inteiramente o álbum de forma 100% analógica. Em entrevista ao O Panorama, o artista capixaba relatou o processo de criação do disco e deu detalhes da produção com Anitta e Criolo.

O significado de ‘Cinco’

A começar pelo nome do álbum, carregado de sentido, ‘Cinco’ representa Silva, com cinco letras, e também o seu primeiro nome, Lúcio, com a mesma quantidade de caracteres. “‘Cinco’ é mãe Oxum, a me lavar com suas águas, é o número de vezes que já me apaixonei nessa vida e é as vezes que fui a Salvador no último ano”, contou.

Repleto de ritmos, o álbum, para Silva, representa um novo ciclo da própria identidade como pessoa e artista. Produzido em meio à pandemia da covid-19, as novas músicas carregam a esperança de dias melhores para o mundo. “Quando comecei o álbum, era o comecinho da pandemia. Já tinha músicas compostas, mas comecei a produzir quando já estava rolando”.

Imerso no tédio proporcionado pelo isolamento social, Silva conta que não gostaria de expressar esse sentimento nas músicas e, como consequência, gerar angústia no público. Por isso, buscou trazer nesse novo álbum energia positiva. “Busco, com as minhas ideias, esse lugar longe daqui. Eu amo ouvir que a minha música levou leveza para alguém, mas eu também faço isso para mim. Preciso disso”.

“A música que finaliza o disco, que é um samba, assim como todas as outras, é sobre isso: algo que queremos viver, dias melhores. Vibra sentimentos bons, coisas que gosto, momentos que queremos viver”.

A produção do disco

De forma independente, ‘Cinco’ revela para o público mais do artista Silva do que nunca. Já que a produção e mixagem de todas as músicas têm a sua assinatura e, ao todo, foram 580h dedicadas ao estúdio. “Nunca gastei tanto tempo em um disco. Então acho que consegui chegar em todas as intenções que queria para esse momento”.

‘Cinco’ em produção | Foto: Reprodução/Twitter

Neste disco novo, as baterias foram gravadas de verdade, assim como o som do baixo, da guitarra e da voz, de maneira analógica. “Não usei bases prontas, nada de computador. Ele é todo feito no estúdio. Tem sintetizadores, mas os de verdade mesmo, que é um luxo”.

Silva conta que fazer a gravação desse tipo de som, de forma real e natural, era um sonho para ele. “Eu sempre quis fazer desta forma, mas nunca pude. Tinha esse som na cabeça, desde que eu comecei a ser artista. Gosto muito deste tipo de música porque acredito que elas envelhecem bem, sabe? Vai mais perto do clássico”, explicou.

Participações especiais

Anitta

Com participação de Anitta, o hit ‘Fica Tudo Bem’, de Silva, lançado em 2018, atingiu a marca de 43 milhões de visualizações no Youtube. Quase como um abraço calmo e doce, o número apenas reafirma o sucesso do casamento das vozes de Anitta e Silva. Após o triunfo, agora, os artistas repetem a dose e embarcam em uma nova melodia: ‘Facinho’.

A 7º faixa do álbum ‘Cinco’ reflete a nova aposta de Silva. Composta por um ritmo dançante, mas sem perder a doçura e leveza característica das músicas anteriores, o dueto mescla um “Ska meets MPB rasgado e para cima”. “Quando fiz ‘Facinho’ achei a cara dela [Anitta]. Fiquei um pouco receoso, porque nosso primeiro feat era relativamente recente, mas, quando mandei, ela adorou e me devolveu a voz em cinco dias”.

“Adoro Anitta por isso, ela é dedicada e muito profissional”, afirmou Silva.

Criolo

Além de Anitta, o rapper Criolo também caiu no ritmo de Silva e emplacou a penúltima faixa do novo disco: ‘Soprou’. Ao O Panorama, Silva contou que o convite para a participação foi feito no réveillon de 2019 para 2020. “Do jeito dele, ele me falou ‘não vamos ficar combinando, quando você tiver algo me manda’. E quando surgiu ‘Soprou’, não pensei em outra pessoa, ele adorou a música e ainda compôs aquela segunda parte. Eu amei”, contou.

O que vem por aí?

Gravado na Bahia, o primeiro clipe de ‘Cinco’ é do single ‘Sorriso de Agogô’. Segunda canção do álbum, a faixa foi mostrada ao público em novembro e cita o tradicional instrumento do samba com uma pegada de MPB suave.

Ainda trabalhando na divulgação do novo álbum, Silva já cogita os próximos planos para ‘Cinco’. “Se eu pudesse, faria clipe das 14 faixas. Mas claro que isso é muito difícil, envolve investimento de tempo e dinheiro. Mas a ideia é ter mais clipes ano que vem”, revelou o artista.

Silva concluiu o papo com O Panorama ao enviar um recado para os fãs e admiradores de seu trabalho.

“Espero do fundo do meu coração que esse disco traga só bons sentimentos, que todos consigam sentir a leveza que quis transmitir”.

Estilo

O papel da vestimenta no desenvolvimento da autoestima

A vestimenta ocupa um papel de destaque no que comunicamos com a nossa imagem e pode ser uma poderosa aliada no desenvolvimento da autoestima.

Publicado

on

Foto: Lobachad/Envato


Desde o princípio, a vestimenta desenvolveu vários papéis ou funções. Quando os homens das cavernas começaram a usar a pele dos animais que caçavam para cobrir e proteger a sua própria pele do frio e do atrito com os obstáculos que encontravam no ambiente, aquela vestimenta rudimentar desenvolvia a função de proteção.


Com o passar do tempo as técnicas para a construção da vestimenta foram se aprimorando. Surgiram amarrações diversas, tecidos feitos por meio do entrelaçamento dos fios dos pelos de animais, diferentes técnicas de tingimento etc. E em meio a tantas novidades, a vestimenta começou a desempenhar outras funções.


Ao longo dos séculos, a vestimenta passou de mera proteção térmica a verdadeira declaração de status e de poder. Na Antiguidade, os egípicios, por exemplo, presavam a limpeza, tinham o hábito de tomar muitos banhos (o que não era comum naquela época), raspavam a cabeça para evitar piolhos e usavam perucas com vários adornos, além de roupas branquíssimas. Na Roma antiga, as cores das vestimentas separavam a sociedade em espécies de castas. Nas monarquias as cores e os tecidos das roupas também simbolizavam riqueza e poder. Havia cores que só a realeza podia usar.


Diversos são os exemplos que poderiam ser citados aqui ao falar da evolução do vestuário, mas o que importa por ora é demonstrar o papel fundamental que a roupa tem na construção e desenvolvimento da imagem e da autoestima.


Dizer que nossa imagem é pura comunicação não verbal e ignorar o papel relevante que a roupa tem nesse contexto seria, no mínimo, contraditório. Ouso dizer que a roupa, ou a ausência dela, é quem primeiro comunica, porque suas cores e texturas impactam primeiro o olhar. Os demais elementos que compõem a nossa imagem chegam em seguida, como um complemento, que podem ou não estar de acordo.


A roupa que escolhemos vestir comunica muito sobre nós, nosso humor, temperamento, status, aspirações e tantas outras coisas. E para quem vive em sociedade o ato de se vestir é praticado diariamente. Em um contexto normal, não há ato social que não esteja precedido da vestimenta. Nossa roupa é capaz de provocar aproximação ou de repelir pessoas. Pensem em quantas vezes vocês já se viram nessa situação. Em quantas vezes já se afastaram ou prejulgaram alguém pela roupa que a pessoa vestia?


Para além da comunicação externa, porém, a roupa tem o poder de elevar ou diminuir nossa autoestima. E esse para mim é o ponto mais relevante de todos! Sabe aqueles dias que a gente passa o dia todo de pijama, que a gente não tem vontade de nada? Também tem aqueles dias que a gente veste qualquer coisa, não arruma o cabelo. E do ano passado pra cá, que temos a realidade do home office? Quem aqui não se vestiu pelo menos uma vez da cintura pra cima?


Todos conseguimos nos enxergar em uma dessas situações com alguma frequência. Agora, reflitam o quão produtivos conseguimos ser nesses dias. Não estou aqui dizendo que não podemos ter um day off. Claro que não só podemos, como devemos! Mas o que gostaria que ficasse claro aqui é que esse padrão não deve ser o desejado. Devemos ter uma rotina de cuidados diários com a nossa imagem, porque isso impacta diretamente na maneira como nos vemos e como nos comportamos.


O padrão de comportamento é mais ou mesmos assim: se eu me sinto mal comigo tendo a cuidar menos de mim, a me olhar menos no espelho, a me vestir de qualquer jeito, adoto uma postura e um discurso que vão acabar com minha autoestima. E é a imagem de uma pessoa derrotada que eu vou passar, porque é assim que estarei me sentindo.


E é exatamente contra esse padrão que devemos lutar! A receita é simples, mas não necessariamente fácil de ser executada. Devemos nos cuidar! Não vou dizer aqui a hora que você tem que acordar! Cada um tem sua realidade. Mas, ao despertar, especialmente nos dias em que não nos sentimos bem, devemos racionalmente seguir uma rotina que começa com o autocuidado. Um bom banho pra acabar de acordar, os cuidados com pele e cabelos e, claro, a escolha da roupa! Neste ponto faça uma escolha consciente! Você verá que vai fazer toda a diferença! Se estiver precisando de ânimo, experimente usar uma peça com uma cor mais vibrante e enérgica! Está agitada, ansiosa, use cores que acalmam e promovem o relaxamento. Feliz e apaixonada? Use as cores do amor! Para cada modo há uma cor que vai contribuir para transmitir ou “curar” o sentimento.


Além das cores, o corte das roupas também transmite informações! Roupas com o corte mais reto e estruturadas (comuns no guarda roupa masculino) transmitem mensagens de poder e distanciamento. Já as roupas leves, fluidas, com linhas curvas, comunicam abertura e proximidade.


Pense em qual mensagem você quer ou precisa transmitir e escolha a vestimenta de forma assertiva! E lembre-se que a mudança desejada na sua vida começa por você! Invista em você, porque não conseguimos demonstrar ser algo que não somos na essência. Na vida pessoal ou profissional, vista-se para os objetivos que você quer alcançar!

Wilfa Branco
Consultora e coach de imagem e estilo

Continue lendo

Entretenimento

Doja Cat divulga clipe futurista de “Kiss Me More”

O primeiro single do terceiro álbum de Doja Cat chamado “Planet Her” é parceria com a artista SZA

Publicado

on

Foto: Jamal Peters

Doja Cat está com tudo! Depois de ser indicada a “Artista Revelação” na 63ª edição do Grammy Awards, a intérprete do hit “Say So” lançou nesta sexta (09/04) o clipe do seu novo single, a canção “Kiss Me More”, parceria com a cantora SZA.

O curta metragem dirigido por Warren Fu possui uma pegada de ficção cientifica. O clipe apresenta um astronauta que explora um planeta cor de rosa, eventualmente ele se depara com dois alienígenas gigantes, interpretados por Doja e SZA.

Doja havia anunciado a chegada do clipe em suas redes sociais na quinta-feira (08/04), com uma arte feita pelo design Chad Knight. Veja:

Terceiro álbum vindo aí:

A canção é o primeiro trabalho do seu novo álbum intitulado “Planet Her”, com previsão de lançamento para o verão norte-americano.

Continue lendo

Cinema

Godzilla vs Kong: Depois de quebrar recordes durante pandemia, filme continua impressionando em bilheteria

Filme da franquia Monsterverse tem registrado grandes números mundialmente

Publicado

on

Foto: Divulgação/Warner

A Warner Bros. e a Legendary Pictures podem comemorar, depois de Godzilla vs Kong ter se tornado a melhor bilheteria de estreia nos Estados Unidos em tempos de Covid-19, o filme continua registrando altos números nos cinemas de todo o mundo. O recorde até então pertencia a Mulher-Maravilha 1984, que também é produção da Warner. 

De acordo com o site Box Office, a previsão é que o épico de monstros faça 15 milhões de dólares na bilheteria doméstica em seu segundo final de semana, acumulando mais de US $ 73 milhões em 12 dias somente nos Estados Unidos. Mundialmente, o filme já arrecadou quase US$ 300 milhões. 

Além do sucesso nos cinemas, o longa dirigido por Adam Wingard também se tornou a melhor estreia no streaming HBO Max. Segundo o Samba TV, o filme foi assistido por 3,6 milhões de espectadores em 4 dias, superando Mulher-Maravilha 1984 (2,2 milhões) e Liga da Justiça de Zack Snyder (1,8 milhões). No entanto, vale ressaltar que o Samba TV fornece dados apenas da audiência que assiste filmes em Smart TV. 

A sinopse oficial do filme diz: 

“As lendas colidem enquanto Godzilla e Kong, as duas forças mais poderosas da natureza, se enfrentam na tela grande em uma batalha espetacular ao longo dos tempos. À medida que a Monarch embarca em uma missão perigosa em um terreno desconhecido, descobrindo pistas das próprias origens dos Titãs, uma conspiração humana ameaça tirar as criaturas, boas e más, da face da Terra para sempre.” 

Depois de ser adiado devido a pandemia do novo coronavírus, Godzilla vs Kong está programado para estrear nos cinemas brasileiros dia 29 de abril. O filme também estará disponível no HBO Max, que chega em junho no Brasil.

Continue lendo

Popular