conecte-se conosco

Distrito Federal

São Sebastião recebe ação contra a Febre Amarela

O motivo foi a confirmação do óbito de um macaco na região, que estava com a doença

São Sebastião recebe vacinação contra Febre Amarela
Foto: Rayra Paiva Franco/O PANORAMA.

A Secretaria de Saúde vai promover, a partir desta segunda-feira (9), uma ação de bloqueio vacinal contra a Febre Amarela em São Sebastião. O motivo foi a confirmação, na quinta-feira (5), da morte de um macaco próximo ao bairro São José que estava com a doença. As casas em um raio de 300 metros quadrados do local serão visitadas por cerca de 50 profissionais de saúde, para conferir o cartão de vacinação dos residentes e identificar se estão imunizados contra a Febre Amarela.

Ainda na quinta-feira, como medida ambiental, a equipe da Diretoria de Vigilância Ambiental (Dival) esteve próximo ao bairro São José e realizou o controle químico com borrifação para eliminar da área os mosquitos Aedes aegypti (transmissores da Febre Amarela), além de fazer a captura de alguns insetos para análise laboratorial. Essa procedimento foi repetido na sexta-feira (6) pela manhã.

Já a ação desta segunda-feira vai começar às 9h, nas quadras, ruas e chácaras dos bairros São José, São Francisco, Morro da Cruz, Vila Nova, núcleo rural Zumbi dos Palmares e na Avenida Central. Caso os moradores não tenham sido vacinados contra a Febre Amarela, as doses serão aplicadas na casa das pessoas pelos profissionais de saúde. Todos aqueles que não tiverem recebido as doses necessárias ou não se lembrarem se já foram imunizados deverão ser vacinados.

Foco em prevenção

O subsecretário de Vigilância em Saúde, Divino Valero, esclarece que o objetivo da medida é fazer um bloqueio vacinal em São Sebastião como forma de prevenção. “O trabalho poderá se estender durante a semana, a depender da situação. Ao mesmo tempo, uma equipe vai fazer uma busca ativa por mais corpos de macacos em toda a região”, ressaltou.

A morte de um primata não humano (PNH) em determinada área é um dos principais indícios de circulação do vírus em regiões de matas e florestas. Portanto, eles são indicadores importantes para vigilância da Febre Amarela.

Valério explica que os macacos não transmitem a Febre Amarela.

“Assim como os seres humanos, eles também são infectados pelo vírus, mas não podem contaminar pessoas com a doença”, acrescenta, lembrando que o ciclo de transmissão da Febre Amarela é por meio do mosquito.

Na área urbana, o responsável por transmitir o vírus é o Aedes aegypti, o mesmo que transmite a dengue, zika e chikungunya.

Óbito de macacos

Este foi o primeiro caso de óbito de macaco confirmado com a doença neste ano no Distrito Federal. A última ocorrência do tipo foi registrada em 2016.

O Distrito Federal, no último boletim do Ministério da Saúde sobre monitoramento de mortes de macacos, recolheu 69 macacos mortos para análise, sem a confirmação de caso positivo para a Febre Amarela. Caso a população encontre macacos mortos, deve comunicar pelo telefone 99269-3673 ou pelo e-mail zoonosesdf@gmail.com.

Casos em humanos 

De acordo com o  boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Saúde, o Distrito Federal não registrou casos da doença em seres humanos em 2019 e em 2020. Este ano, foram notificados nove casos suspeitos, mas nenhum foi positivo para a doença.

No entanto, em 2018, o DF teve dois casos confirmados, mas foram de pessoas contaminadas em São Paulo. Ressaltando que a principal medida de prevenção contra a doença é a vacinação.

No DF, a cobertura vacinal de Febre Amarela está em 62,9%. A vacina é aplicada com uma dose aos nove meses de idade e um reforço aos quatro anos. Pessoas de cinco a 59 anos de idade, não vacinadas ou sem comprovação vacinal, devem tomar uma dose única.

* Com informações da Secretaria de Saúde

Por: Agência Brasília

Distrito Federal

Projeto “Melhor Idade Conectada” ensina idosos a navegar com segurança na internet

O curso teve início no dia 12 de março e já atendeu mais de 200 idosos de forma presencial e cerca de 600 por meio do WhatsApp

Publicado

on

Foto: Reprodução

O projeto “Melhor Idade Conectada”, uma iniciativa pioneira do Governo do Distrito Federal (GDF) em parceria com o Instituto Inside Brasil, tem feito um percurso notável pelas regiões administrativas do Distrito Federal, deixando um rastro de inclusão digital e segurança para a população idosa. Agora, à medida que o projeto se aproxima da reta final, novos participantes são convidados a se juntar a esta jornada de aprendizado e proteção.

Com um investimento aproximado de R$ 500 mil, o projeto tem como objetivo capacitar os idosos na usabilidade da internet, tornando-os menos suscetíveis a golpes cibernéticos, uma realidade cada vez mais presente no cotidiano. As aulas itinerantes, ministradas em locais de fácil acesso como os COPS e CECONs, têm sido um sucesso, com mais de 500 idosos atendidos presencialmente e cerca de 1500 via WhatsApp.

A secretária de Justiça e Cidadania do DF, Marcela Passamani, enfatiza a importância da iniciativa: “Os idosos são frequentemente explorados em golpes virtuais devido à sua vulnerabilidade. O projeto não só os educa sobre como navegar com segurança, mas também como agir em caso de fraudes.”

Os cursos são estruturados em sessões de três horas, onde os idosos podem interagir, compartilhar experiências e receber orientações em uma linguagem clara e acessível. Para aqueles que não podem estar presentes fisicamente, o projeto oferece aulas pelo WhatsApp, com vídeos institucionais curtos e dinâmicos.

A aposentada Maria José, de 72 anos, expressa seu entusiasmo: “A internet é um meio de comunicação muito rápido, e o curso nos ensina a se prevenir de vários golpes que são aplicados na praça”. 

As inscrições para as próximas sessões do projeto estão abertas, e os interessados podem se inscrever através do site oficial do “Melhor Idade Conectada”. É uma oportunidade imperdível para os idosos se armarem com conhecimento e confiança, navegando na era digital com segurança.

O presidente do Instituto Inside Brasil, Robielisson Lima de Medeiros, destaca o sucesso do projeto e o impacto positivo no bem-estar e na segurança dos idosos na era digital: “Veio para agregar e eles estão dispostos a compartilhar com os amigos as informações obtidas aqui no projeto.”

Confira a programação dos cursos presenciais no mês de março:
→ 20/3: Santa Maria Sul, Entrequadras 209/309, Área Especial B. Das 9h às 12h e das 14h às 17h
→ 21/3: Brazlândia, Área Especial 01 Norte, lotes M/N. Das 9h às 12h e das 14h às 17h
→ 22/3: Recanto das Emas, Avenida Ponte Alta, quadra 604, Área Especial. Das 8h às 9h e das 17h às 18h
→ 26/3: Recanto das Emas, Avenida Ponte Alta, quadra 604, Área Especial. Das 8h às 9h e das 15h30 às 16h30
→ 27/3: Gama Leste, Centro de Convivência (CECON), E/Q 8/10, Área Especial. Horário a definir
→ 28/3: Riacho Fundo, Centro de Convivência (CECON), QS 12 a/E lote F. Das 9h às 12h

Continue lendo

Distrito Federal

Brasília E-sports: A revolução dos jogos eletrônicos nas comunidades carentes do DF

O projeto já atraiu mais de 8 mil participantes no Distrito Federal

Publicado

on

Foto: Divulgação

O projeto Brasília E-sports está transformando o mundo dos esportes eletrônicos no Distrito Federal. Com o objetivo de democratizar o acesso aos jogos eletrônicos, o projeto oferece, de forma gratuita, espaços de free play, Just Dance e realidade virtual em Centros Olímpicos e Paralímpicos espalhados por 12 regiões administrativas.

Desde sua criação em 2022, o Brasília E-sports promoveu a inclusão social através dos jogos eletrônicos e posicionou Brasília como um importante pólo esportivo do segmento gamer. “O impacto que estamos vendo nas comunidades é extraordinário. Crianças e jovens que nunca tiveram contato com a realidade virtual agora estão explorando novos mundos e habilidades”, afirma Wesley Baima, um dos coordenadores do projeto.

Com uma audiência que só fica atrás da China e dos Estados Unidos, o Brasil se destaca no cenário global dos e-sports. O projeto Brasília E-sports já atraiu mais de 8 mil participantes, um testemunho do crescente interesse e valorização dos jogos eletrônicos como prática esportiva.

Além do entretenimento, o projeto tem um papel fundamental no desenvolvimento socioeconômico e cultural das regiões. Maria Fernandes, uma mãe de família da região de Sobradinho, compartilha: “Meus filhos estão aprendendo a trabalhar em equipe e a desenvolver estratégias. Isso é algo que eles não aprendem na escola.”

Confira abaixo as datas e locais dos próximos eventos: 

  1. Riacho Fundo I – 09 e 10 de Dezembro – 9h às 17h
  2. São Sebastião – 19 e 20 de Janeiro – 9h às 17h
  3. Planaltina – 23 e 24 de Janeiro – 9h às 17h
  4. Sobradinho – 26 e 27 de Janeiro – 9h às 17h
  5. Santa Maria – 31 de Janeiro e 1 de Fevereiro – 9h às 17h
  6. Gama – 06 e 07 de Fevereiro – 9h às 17h
  7. Samambaia – 09 e 10 de Fevereiro – 9h às 17h
  8. Recanto das Emas – 16 e 17 de Fevereiro – 9h às 17h
  9. Brazlândia – 23 e 24 de Fevereiro – 9h às 17h
  10. Parque da Vaquejada – 28 de Fevereiro – 9h às 17h
  11. Estrutural – 01 e 02 de Março – 9h às 17h
  12. Setor O – 05 e 06 de Março – 9h às 17h

Esses eventos são uma oportunidade única para a comunidade se envolver com a cultura dos e-sports, experimentar os jogos eletrônicos e criar conexões com outros jogadores. 

O Brasília E-sports é mais do que um projeto; é um movimento que está redefinindo o esporte e a inclusão social. Com cada evento, a visão de um futuro onde os jogos eletrônicos são uma ferramenta de transformação social se torna mais clara.

Para mais informações sobre os eventos e como participar, visite o site oficial do Brasília E-sports ou entre em contato com pelo email: contato@insidebrasil.org.br ou pelo telefone (61) 98655-0321. 

Continue lendo

Distrito Federal

Campanha ‘Não é Brincandeira, é Crime’ mobiliza o DF contra o abuso infantil

Iniciativa abre caminho para a conscientização da população da capital federal

Publicado

on

Foto: Divulgação

Uma nova campanha de conscientização tomou conta das ruas e estações de metrô do Distrito Federal, trazendo um alerta sério e necessário: o combate ao abuso e exploração sexual infantil no turismo. Com o lançamento oficial na Casa de Chá, a campanha “Não é Brincadeira, é Crime” busca educar e mobilizar a população sobre um dos problemas mais graves e ocultos da sociedade.

Robielisson Medeiros, coordenador do projeto, destaca a importância da iniciativa: “Estamos aqui para dizer que cada cidadão tem um papel crucial nessa luta. Não podemos fechar os olhos para a violência que assola nossas crianças e adolescentes.”

Os stands itinerantes, que percorrerão pontos estratégicos da cidade, são apenas uma parte de uma estratégia maior que inclui peças publicitárias e distribuição de materiais educativos. Thais Cardoso, uma das voluntárias nos stands, relata: “As pessoas se aproximam, algumas sem saber da gravidade da situação. Quando entendem, muitas se comprometem a ajudar. Isso mostra que estamos no caminho certo.”

A campanha enfatiza que não há espaço para tolerância ou ignorância quando se trata de abuso sexual infantil. “Cada informação que passamos, cada folheto, cada conversa pode salvar uma vida”, afirma Cristiane Silva.

Com uma agenda cheia, a campanha seguirá para a Rodoviária Interestadual e outros locais de grande circulação, garantindo que a mensagem chegue a todos os cantos da capital federal.

Confira a programação completa abaixo: 

  1. Casa de Chá – 24 a 27/01/2024
  2. Rodoviária Interestadual – 29/01 a 03/02/2024
  3. Museu Nacional – 05 a 07/02/2024
  4. Estação Central – 08 a 10/02/2024
  5. Estação Águas Claras – 19 e 20/02/2024
  6. Estação Praça do Relógio – 21 e 22/02/2024

Para mais informações, a organização Inside Brasil disponibiliza o contato pelo email contato@insidebrasil.org.br e pelo telefone (61) 98655-0321. A luta contra o abuso e exploração sexual infantil é de todos nós. Não é brincadeira, é crime!

Continue lendo

Popular